Pular para o conteúdo

Bioeconomia e Zona Franca de Manaus reunidas em estratégia integrada

Fonte: Instituto Escolhas
Bioeconomia e Zona Franca de Manaus reunidas em estratégia integrada
Apresentação do projeto de integração zona franca de Manaus e bioeconomia amazônica na Câmara dos Deputados

A bioeconomia está sendo estudada pelo Ministério de Ciências e Tecnologia que aponta para um mercado de mais de US$ 4 trilhões no mundo, e que o Brasil poderia obter 20% desse valor. Significaria cerca de US$ 800 bilhões, o que por si só é muito maior do que o atual agronegócio brasileiro, calculado em torno de US$ 500 bilhões quando somados todos os elos de sua corrente, da genética até o consumidor final.

O embaixador Rubens Barbosa, hoje presidente do Conselho da Abitrigo, escreveu no jornal Estadão um artigo excelente falando que a bioeconomia e a zona franca de Manaus deveriam estar reunidas numa estratégia integrada. A zona franca de Manaus, que objetiva progredir a Amazônia, foi criada no final dos anos 60. Conta com subsídios governamentais que consomem anualmente R$ 25 bilhões. E está assentada a zona franca em programas industriais.

O instituto Escolhas (www.escolhas.org) fez uma proposta para a zona franca de Manaus e a bioeconomia. Envolve diversificar atividades econômicas e integrar no parque industrial a vocação natural da região, com o patrimônio da biodiversidade.

Uma política pública integrando bioeconomia com a zona franca de Manaus partiria do uso de matérias primas nas diversas regiões do estado com ênfase nos insumos de biodiversidade para gerar exportações e internacionalizar os negócios das empresas. Ou seja, colocar o estado do Amazonas, que tem um PIB duas vezes menor do que a Disney Corporation,  integrada nas cadeias globais produtivas de valor.

Múltiplos produtos como plástico verde, ecoturismo, piscicultura, hub de pesquisa em bioeconomia, excelência em floresta, madeira tropical, fibras amazônicas, moda, cosméticos, têxteis, plantas e insetos para food tech. E por que não uma Cenargen da Embrapa com o banco genético de toda a Amazônia brasileira vendendo estudos e serviços para o mundo?

O Brasil pode ter um PIB duas, três ou quatro vezes maior do que temos hoje. Questão de inteligência e de criação de valor. Temos tudo. A Hora do Agronegócio, bioeconomia e zona franca de Manaus, ótima ideia.

José Luiz Tejon para Jovem Pan

%d blogueiros gostam disto: