Pular para o conteúdo

Jovens das comunidades querem e precisam de trabalho legal

Jovens das comunidades querem e precisam de trabalho legal
Foto: arquivo pessoal de José Luiz Tejon Megido.

Nesta semana estive na Fundação Casa de São Paulo para ministrar uma palestra para jovens que já cometeram algumas infrações. O tema da palestra foi sobre a vida e as escolhas.

 

No mesmo dia, ao chegar em casa, liguei a TV e assisti alguns programas que mostravam crimes e roubos; moleques roubando motoristas… e o jornalista estava clamando por mais polícia nas ruas.

 

Ao conviver um pouquinho com esse universo terrível, onde crianças são condenadas e abandonadas para servir ao crime organizado, cai na real!

 

Percebi que precisamos muito mais de ações preventivas. Precisamos que a sociedade civil organizada abrace esses jovens das comunidades e ofereça trabalho legal, antes que sejam recrutados pelo trabalho ilegal.

 

Ao final da palestra, os meninos se achegaram a mim, e pensei: “E aí, o que acontece quando a porta abrir e eles voltarem pra rua? Quem irá acolher, o trabalho legal ou a vida ilegal?”

 

Se gente nascida no luxo, nas melhores escolas do mundo, podem se transformar em criminosos corruptos se gente de dentro da lei usa seus cargos para criar quadrilhas criminosas.

 

O que dizer daquele menino com 14 anos sem pai nem mãe, morando numa comunidade e sendo adotado pelo patrão do crime? As causas, quando não trabalhadas, só servem para desonestos intelectuais se locupletarem na dança mórbida dos seus efeitos.

 

E esses 13 milhões de desempregados?

 

Vale refletir sobre a grande responsabilidade da elite de uma nação ao tolerar e não se indignar com isso! O Brasil é rico demais para não crescer seu PIB a pelo menos 4% ao ano.

 

Irresponsáveis que convivem com uma economia estagnada mereceriam responder por um crime doloso, nefasto, da pior espécie! Esta é a campanha que quero lançar e abraçar. Estágios, aprendizes , emprego, trabalho honesto.

Foto: arquivo pessoal de José Luiz Tejon Megido.

Da Fundação Casa para a ação: Amor ao Trabalho Legal. Poderemos salvar muitos jovens do crime!

Meu respeito e admiração aos funcionários que conheci na Fundação Casa de São Paulo. São heróis que combatem diariamente uma luta dificílima.

Devemos dar uma chance para a dignidade humana e parar de botar a culpa nos outros, além de focar nos efeitos versus suas causas.

 

É indigno e intolerável não termos no Brasil a oferta de um trabalho legal para todo brasileiro a partir de 15 anos de idade. Na Fundação Casa, com sua equipe de funcionários e seus jovens menores fica muitíssimo claro a causa de todas as causas do crime.

 

É um plano de estado que deve ser obrigatório, Sr. Presidente, para que em 10 anos exista em todas as comunidades do país as centrais organizadas do trabalho legal. O Brasil é rico demais para conviver com a indignidade da indignidade humana: condenar crianças ao indigno.

 

 

Vamos criar um hub “Amor ao Trabalho Legal“. Reunir exemplos como Corpo de Patrulheiros Mirins de Santo André, o Programa Aprendiz do Agro do CIEE, e fundações como o Instituto Cacau Show, a Ferbasa, na Bahia, etc.

 

Podemos minimamente mostrar o que já temos de bons exemplos!

%d blogueiros gostam disto: