Pular para o conteúdo

Luiz Pretti, experiência fundamental para o país

Fonte: Divulgação Amcham
Luiz Pretti, experiência fundamental para o país

Recebemos na redação da Jovem Pan uma mensagem de Luiz Pretti, presidente da Cargill nos informando que terá um sucessor a partir de 15 de dezembro deste ano. Será Paulo Sousa, atual líder da área de commodities da Cargill.

Em um momento em que precisamos tanto de uma visão global, equilibrada, com fortíssimo tino comercial, para todo o agronegócio brasileiro, essa informação me chama muito a atenção. A economia brasileira em dormência, enquanto podemos ter no movimento da visão total do agribusiness talvez a única possibilidade de crescimento e de ativação do PIB do país nos próximos anos.

Mas, obviamente, essa ação não cairia do céu, precisaríamos de uma coordenação e, além disso, uma real, legítima, efetiva competência e nesse sentido uma experiência concreta como a de Luiz Pretti, brasileiro e com uma carreira brilhante na maior empresa do agro do país, e numa das 10 maiores do planeta. Vejo como se fosse eu  um head hunter para nosso Brasil, um talento humano com um saber fundamental que poderia servir a nossa nação.

A Cargill é uma dessas empresas notáveis, supera o tempo, continua sendo familiar, conhece o mundo em detalhes e tem uma característica excelente para estudarmos, sucesso com longevidade. Por exemplo no Brasil desde 1965 e tem mais de 150 anos de vida.

Pretti superou concorrência ferrenha no Brasil, precisou construir logística, fez terminais portuários no Norte, como executivo fez o lucro líquido da companhia crescer 17,1% ano passado , ampliou fábrica de processamento, portanto não estacionou apenas como trading, tem cacau, se manteve no mercado da cana de açúcar, do etanol , saiu de alguns negócios e entrou em outros como a Nutron.

E Luiz Pretti futuro ex-presidente da Cargill diz que o maior desafio do nosso agronegócio será garantir sustentabilidade da produção e isso significa exportações. Luiz Pretti estará na presidência do Conselho da Amcham Brasil, Câmara Americana de Comércio, e para dobrarmos o tamanho do agro nacional, com uma meta de RS$ 4 trilhões vai aí a pergunta para um líder presidente da maior empresa dos Estados Unidos no Brasil: possível?

Podemos fazer? Esperamos que o saber de Luiz Pretti possa ser muito bem aproveitado pelo Brasil, em um momento de transição extremamente delicado e decisivo para o futuro do novo agronegócio nacional.

Sucesso Luiz Pretti , sua carreira fala por você!

José Luiz Tejon para Jovem Pan.

%d blogueiros gostam disto: