Pular para o conteúdo

Oposto de ‘A Dona do Pedaço’, ‘Amor de Mãe’ estreia com promessa de grandes atuações

Reprodução
Oposto de ‘A Dona do Pedaço’, ‘Amor de Mãe’ estreia com promessa de grandes atuações
Regina Casé interpreta Lurdes, que busca o filho vendido ainda criança

Já nas primeiras cenas de “Amor de Mãe”, bastou um olhar – uma fala, uma pausa – de Regina Casé para que a premissa da nova trama das nove da Globo fosse estabelecido: haverá fortes emoções a caminho. Com interpretação forte e delicada, com uma personagem que tem uma carga emocional e um passado de grande dificuldade nas costas, a atriz mostrou que tem nas mãos uma grande jornada à sua frente. Assim como em “Justiça”, minissérie da mesma autora do folhetim, Manuela Dias, as histórias aos poucos se conectam.

Com cinco filhos – um deles vendido pelo marido ainda criança -, Lurdes (Regina Casé) faz entrevista de emprego na casa de Vitória (Taís Araújo), advogada ambiciosa, que sonha em ser mãe. Pouco depois, cruza com Thelma (Adriana Esteves), que descobre ter um aneurisma difícil extração e pode ter pouco tempo de vida. Depois de vilãs em “Avenida Brasil” e “Segundo Sol”, Adriana tem nas mãos uma personagem que conta com a torcida e simpatia do público já no primeiro capítulo.

Com capricho e grife de José Villamarim, o começo de “Amor de Mãe” tem condução e enquadramentos diferentes do que se vê em outros folhetins da emissora. Da mesma maneira, os clichês do melodrama não são dados de maneira fácil pelo texto corajoso de Manuela Dias. Nesse sentido, será curioso ver a reação da audiência a longo prazo, uma vez que a trama é diametralmente oposta a sua antecessora, “A Dona do Pedaço”.