Pular para o conteúdo

Falta a MC Gui entender que seu problema não se resume a marketing e carreira

Reprodução
Falta a MC Gui entender que seu problema não se resume a marketing e carreira
MC Gui: crise de carreira por causa de bullying

O país inteiro ficou chocado com o vídeo compartilhado por MC Gui no qual zomba de uma garotinha em um parque da Disney. O story publicado no Instagram do funkeiro é um claro caso de bullying e certamente terá grande repercussão em sua carreira. O cantor teve pelo menos três shows cancelados, foi banido da programação de duas rádios e teve seus produtos retirados de uma loja que vendia seus licenciamentos. Doeu no bolso. Depois do primeiro pedido de desculpas, no qual dizia ter sido “mal interpretado”, Gui voltou às redes para se desculpar.

Em entrevista ao jornal “Extra”, Rogério da Silva, pai do funkeiro, disse que o filho estava “chorando muito”. “Estamos todos abalados. E não temos mais clima para férias”, afirmou ele, que completou ainda que o cantor pediria desculpas em uma “emissora nacional”. De fato, Gui entrou ao vivo no “Balanço Geral”, da Record, onde disse que estava “mais constrangido” que a garota que sofreu o bullying. No mesmo dia, a mãe do artista, Claudia Baronesa, pediu ajuda nas redes para localizar a garotinha e poder reparar o erro. Será que tal encontro ocorreria com mais câmeras de TV ou foto no Instagram? A quem parece uma boa ideia fazer a vítima – que já foi exposta a um país inteiro e continua tendo sua imagem replicada sem autorização – voltar a ter contato com seu algoz? Apenas para o próprio, que tenta limpar a barra.

O que as pessoas que cercam MC Gui parecem não ter percebido ainda é que este não é um caso pura e simplesmente de marketing, que pode ser resolvido em programa de televisão ou vídeos nas redes sociais. Do mesmo modo, publicar foto fazendo caridade na África parece apenas oportunismo para mostrar que é um bom garoto. A questão é mais profunda. Diz respeito à falta de consciência sobre o bullying, diz respeito a como educamos os nossos jovens e como eles não estão prontos para lidar com as consequências de seus atos. Antes dele preocupar com aparecer arrependido na mídia, o funkeiro talvez devesse se informar melhor sobre o assunto, procurar se engajar em campanha anti-bullying, promover ações afirmativas e mostrar que aprendeu com o erro.

Se não souber lidar com essa crise de maneira humana e humilde, Gui corre o risco de ter o mesmo destino de Biel, cuja carreira afundou desde que veio à tona o caso em que assediou uma repórter. Dá tempo de aprender.