Pular para o conteúdo

Empolgante, ‘Watchmen’ confirma ótima safra de séries da HBO

Reprodução
Empolgante, ‘Watchmen’ confirma ótima safra de séries da HBO
As máscaras de Roscharch viraram símbolo de supremacia branca na série

Entre os aficcionados por histórias em quadrinhos, é quase a unânime que “Watchmen” figura entre algumas das melhores graphic novels de todos os tempos. Criada por Alan Moore e David Gibbons, a história se passa em um futuro alternativo em que vigilantes começam a ser alvo de um assassino misterioso, ao mesmo tempo em que se reflete sobre uma sociedade em crise, conservadorismo e vários temas sensíveis. Adaptada para o cinema com êxito questionável por Zack Snyder, agora a trama ganha nova chance no formato de série da HBO. Ao contrário do que se pode imaginar, no entanto, não se trata de uma mera adaptação do que já foi contado nas páginas das HQs.

No seriado, a trama se situa décadas depois dos quadrinhos, o que permite que quem não leu o original da DC Comics assista sem problemas de compreensão. As referências estão espalhadas por toda a narrativa. Há imagens de antigos heróis como os Minute Men e, para curiosidade geral, o psicopata Roscharch, que investigava a morte dos vigilantes na HQ, foi transformado em um ícone da supremacia branca, com vários criminosos usando a mesma máscara. No episódio de estreia, as tensões raciais permeiam boa parte da história e sugerem que serão exploradas a fundo ao longo da série.

O universo de “Watchmen” é completamente novo e amplia o clima já proposto por Alan Moore no gibi. Agora, o mundo lida com tragédias climáticas – chovem lulas (!!!) do céu – e leis bem específicas. A história tem assinatura de Damon Lindelof, criador de “Lost”, que já provou que consegue prender bem a atenção do espectador. A julgar pela estreia, a série promete muito e confirma a ótima safra de produções da HBO este ano, que já nos rendeu projetos bem sucedidos como “Chernobyl”, “Euphoria” e “Years and Years”, além da segunda temporada de “Big Little Lies”.