Pular para o conteúdo

Emprestado pelo Timão à Ponte, Marquinhos revela medo de não ter dado certo como profissional

Emprestado pelo Timão à Ponte, Marquinhos revela medo de não ter dado certo como profissional

O Corinthians é o maior campeão da Copa São Paulo. Ao todo, são 10 títulos. Um dos mais marcantes aconteceu na edição de 2017. Uma equipe que contava com vários atletas de talento e potencial, como Pedrinho, Carlinhos, Mantuan e Marquinhos.

Não tão badalado como Pedrinho, Marquinhos foi peça-chave na equipe, então comandada por Osmar Loss. Uma campanha impecável que culminou em um título invicto.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, Marquinhos, que hoje está emprestado pelo Corinthians à Ponte Preta, relembrou o ótimo time que venceu a Copinha de 2017:

“A gente sempre comenta, quando nos reunimos, que foi um dos times mais completos de todas as edições de Copinha. Não tinha posição onde falavam ‘esse aqui é mais ou menos’. Todos ali eram muito capacitados e a maioria está empregada, está jogando em algum clube. Isso que é o mais importante”, disse Marquinhos.

Um dos momentos mais delicados da carreira de um jogador de futebol é a transição da base para o profissional. Muitos atletas, por mais talento que tenham mostrado nas categorias inferiores, ficam no meio do caminho. Marquinhos, por exemplo, está em seu terceiro empréstimo sem nunca ter conseguido uma sequência no time principal Corinthians.

“Acho que é o maior medo do atleta é não ter espaço no profissional. Foi até o que aconteceu comigo no primeiro ano, não tive tanto espaço. Fiquei com um pouquinho de receio se ia ou não dar certo, mas graças a Deus está dando certo. Já tive muitos amigos que ficaram no meio do caminho por não ter oportunidade para persistir em busca do sonho. É uma transição muito difícil essa da base para o profissional”, explicou Marquinhos.

Quando parecia que o jogador havia encerrado seu ciclo no Corinthians, Carille surpreendeu Marquinhos ao chamá-lo para bater um papo sobre seu futuro.

“Ele pediu para eu não sair, para ter um pouquinho mais de paciência que ele iria me utilizar. Falei para ele que eu gostaria de ficar, que era um sonho jogar no Corinthians, ganhar algum título. Então tive a paciência, conversei com meus pais, com meu empresário, que passaram confiança para mim e tranquilidade”, contou.

Marquinhos vive um começo de ciclo muito bom na Ponte Preta, que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro. Em quatro jogos com a camisa da Macaca, são dois gols e uma assistência.

Escute no player abaixo a íntegra do bate-papo com Marquinhos:


Me siga no Twitter: @ranieri_andre

Me siga no Instagram: @ranieri_andre

Escute minhas matérias no SoundCloud clicando AQUI ou no CastBox clicando AQUI

Leia Também: Canhoto, técnica razoável e bom posicionamento. Treinador fala sobre o zagueiro Fabio Carille