Pular para o conteúdo

Apesar das críticas dos torcedores rivais, Fagner titular da Seleção não seria um absurdo

Apesar das críticas dos torcedores rivais, Fagner titular da Seleção não seria um absurdo

Há alguns anos Fagner figura entre os principais laterais-direitos do futebol brasileiro. Mas, principalmente por algumas entradas mais fortes, como a em Ederson no Brasileirão de 2017, ele ficou marcado pelos torcedores rivais.

Esse estigma de jogador violento compromete, inclusive, a análise dos não-corinthianos em relação ao seu futebol. Talvez sem essa marca, Fagner fosse até uma unanimidade na Seleção.

E, mais do que merecer estar entre os 23 convocados de Tite para a Copa América, não é absurdo algum pensar no lateral como titular do Brasil. A seguir, alguns pontos de comprovam isso.

1) Concorrência

A lateral-direita não é a posição com mais opções disponíveis na atualidade. Dani Alves está com 36 anos e dificilmente chegará na próxima Copa; Danilo pouco joga no Manchester City; Militão tem um nível muito maior quando atua como zagueiro; e Fabinho tem jogado como 5 e 8 no Liverpool.

2) Experiência

Na Copa do Mundo da Rússia, Fagner ganhou a posição durante a competição, com a lesão de Danilo, e foi titular em quatro partidas. Vale lembrar que, também por lesão, Dani Alves não foi convocado. Apesar de ter sofrido defensivamente contra a Bélgica, principalmente com as investidas de Hazard, de um modo geral, Fagner não comprometeu durante a competição. E, entre nós, qualquer marcador sofreria para marcar o atacante do Chelsea.

3) Números

Segundo os números do Footstats, Fagner é o jogador mais acionado do Corinthians e com a melhor porcentagem de acerto nos cruzamentos (60%) entre os clubes brasileiros. Ele é também o segundo jogador que mais desarmou no País (18 vezes) e cometeu apenas uma falta. Além disso, ainda deu duas assistências para gol no Brasileirão.

4) Eficiência no ataque e na defesa

Como destacado no item anterior, Fagner mostra uma consistência defensiva muito boa. Ele é o segundo em desarmes no futebol brasileiro. Mas, ofensivamente, o lateral tem mostrado uma capacidade cada vez maior. Não à toa, as principais jogadas de ataque do Corinthians saem pelo lado direito. Aliás, Carille falou sobre as características de Fagner na última coletiva do Corinthians e o classificou como um meia na fase ofensiva:

5) Boa relação com Tite

Fagner trabalhou com Tite no Corinthians. Juntos, conquistaram o título Brasileiro de 2015. A vivência de dia a dia de clube é totalmente diferente da de Seleção. No clube, o treinador conhece o atleta muito mais a fundo, características de jogo, personalidade, limites físicos, relação com demais jogadores e comissão técnica etc.


Me siga no Twitter: @ranieri_andre

Me siga no Instagram: @ranieri_andre

Escute minhas matérias no SoundCloud clicando AQUI ou no CastBox clicando AQUI

Leia Também: Vagner Love + um 9: saiba como parceria com Jô deu certo no CSKA